Peaking Lights
16 AGO

O duo natural de São Francisco, Peaking Lights, combina elementos de dub, krautrock, disco e psicadélico pop num singular registo. Indra Dunis e Aaron Coyes iniciaram o percurso musical enquanto membros da banda Rahdunes, antes de formarem Peaking Lights, um projecto caseiro para o qual usaram uma bateria electrónica, um órgão, uma guitarra e fortes batidas de baixo. O resultado desta artesanal produção surgiu em 2008 Clearvoiant e o sucesso deste primeiro disco desencadeou a colaboração com o colectivo Italiano de free jazz Jooklo, bem como um convite da conceituada editora Night People. O acordo com a editora norte-americana garantiu a Peaking Lights o lançamento de mais dois álbuns: Imaginary Falcons (2009) e Space Primitive (2010), discos que voltaram a afirmar o estilo lo-fi space-pop em que a banda envolvia os seus temas. No ano seguinte surge 936, um disco que convidou os fãs de Peaking Lights a fugir das habituais sonoridades e a envolverem-se na fusão do pop psicadélico que mistura ritmos dub a chillwave.
Como celebração do décimo aniversário, o duo edita o EP Sea of Sand (2018), um disco com seis faixas que junta a electrónica aos vocais que já pertencem à história de Peaking Lights. O psicadélico pop de Peaking Lights junta-se ao cartaz no dia 16 de Agosto.

arriba

Cartel