Madrepaz
16 AGO

·

16:00

·

Jazz na Relva

A história do baterista Canina e do guitarrista Pedro da Rosa começou n’ Os Golpes, uma das bandas que esteve na vanguarda do movimento da Nova Música Portuguesa que no princípio do milénio uniu uma geração determinada a devolver a portugalidade ao roque português. Com a música “Vá Lá Senhora” e dois discos aclamados pela crítica e mais de uma centena de actuações ao vivo nos principais palcos portugueses, Pedro e Canina deram início a um trabalho conjunto de 10 anos, que teve continuidade em bandas como a Armada e os The Mighty Terns.
Na banda Armada, Ricardo Amaral segurava o papel de guitarrista. Foi aquando a gravação do segundo registo da Armada que a banda se apercebeu que estava em curso uma mudança de consciência, resultando numa sonoridade disruptiva com o conceito até então defendido. A banda viria a optar por nunca editar este trabalho intitulado “Espiral”, um disco conceptual acerca de um mecanismo idílico de elevação do espírito humano.
Pedro, Nuno e Ricardo encetam um processo de construção e destruição da estética musical, de questionamento e de tentativa e erro que os levou a uma visão mais clara e profunda da identidade do grupo e do tipo de música e mensagem que iriam partilhar. João Barreiros viria a juntar-se nas teclas na recta final de 2015. Em dois anos editam dois discos: “Panoramix”, editado em 2017 e segundo disco "Bonanza" é editado em 2018.

topo

Cartaz